esse país onde MORO,
é um pouco de…
DEUS!
morro a cada dia
que vejo outra notícia
que noticia outra(s)
incapacidades
de ver (ás)
verdades.
se olhar bem;
Culpa de quem?
não,
é de ninguém.
isso vai além…
Intrigantes somos
amantes somos
políticos somos
mesmo?
Nunca o fomos
nem o sabemos
ler,
A culpa que temos?
morremos nos morros,
sedentos, vivemos
querendo viver
aqui onde MORO
é gente de poder,
querendo nos
***er
Culpa de quem?
ali,
aponta-se alguém.
E já satisfeitos
deitamos tranquilos…
aqui onde MORO
a justiça será feita…
A que se faz
aqui se peita!
Bandeira amarela,
camisa sangrenta
A dualidade
de meias verdades.
A que ganha,
a outra metade.
É tarde…
Buraco pra cabeça,
cavo
minha
cova;
Alicerce do poder
no  sorriso
da morte
da (in)justiça
Andréia Maressa
Brasil, 16 de março de 2016. 
O clima tá tenso
Anúncios

3 comentários sobre “Esse país onde MORO

      1. Vou devolver o confete: vc é que arrasou, com essa definição tão precisa, em que expôs a contradição de uma verdade patente, porém em linguagem poética. Parabéns!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s