Quem te ensinou a amar?

Nunca me ocorreu… Até hoje, me perguntarem se eu sei amar. 

 

Alguém já te perguntou isso? Aliás, você ama alguém? Sim? Então onde aprendeu isso?
É muito esquisito o conceito sentimental que as pessoas têm de amor hoje. Mas mesmo assim, seja lá qual for o seu conceito de amor; entojado, frio, apaixonado, fraternal, horizontal, vertical, canônico… Cara, quem te ensinou a amar?

Esta também é outra pergunta que nunca me fizeram. Mas me parece óbvio o motivo. As pessoas perguntam quem te ensinou a correr desse jeito, quem te ensinou a falar dessa maneira, quem te ensinou a ser polido, quem te ensinou a jogar bola ou quem te ensinou essa porção de coisas. E geralmente são esses os tipos de pergunta da categoria ‘quem te ensinou’.

Meu querido, você já reparou que não existem músicas falando sobre isso; quem te ensinou a amar dessa maneira? Milton Nascimento canta em Peixinhos do Mar “quem me ensinou a nadar? quem me ensinou a nadar? Foi, foi marinheiro, foi os peixinhos do mar!” , é claro que a canção não trata de amor, mas  o que quero dizer, é que o sujeito dessa canção aprendeu através da observação. E fico aqui imaginando a luta que não deve ter sido até conseguir fazer direito.
                Amar. Amar não é só sentir. A gente sente que nosso amigo nos ama e ele nem precisa falar. Ninguém explicou pra ambos como seria, e nenhum explicou pro outro o que deveria ser feito pra que ele se sentisse amado. Isso não precisa ser explicado! Uma mãe sabe que precisa limpar seu neném quando ele estiver sujo, e por mais que a ensinem a fazer tal coisa, ninguém precisou dizer a ela que isto é uma prova incontestável de amor maternal. Um casal. Cara, ninguém fica ensinando como beijar, como fazer carícias e como dizer e fazer coisas que agradem ao outro.  Quando uma das duas pessoas percebe que aquele gesto vai fazer a pessoa sentir-se amada, se a ama, ela faz. Por mais que doa, por mais que seja estranho, por mais que seja desconfortável. E isso não precisa ser ensinado. Você sente, e faz e ama. Simples.
                Amor não é só afeto, compaixão, não é só estar junto. O amor é escolher, e fazer. É mais confortável dizer que não sabemos como fazer, mas sim, sabemos. Entretanto, se é sabido como deve ser feito e não se  faz porque não quer; então não ama. Não, não ama. E não é que não tem o direito de ser amado mesmo sem amar. Mas é covardia deixar um só amando. Quando a gente não sabe nadar, a gente sai da água. Mas se é gostoso ficar nela, faça o esforço e aprenda com os peixinhos do mar.

 

 

Andréia Maressa da Silva.
São Bernardo do Campo, 17 de fevereiro de 2013.
Adaptado em 07 de abril de 2013.

Anúncios

4 comentários sobre “Quem te ensinou a amar?

  1. Falou e disse Andréia. Pra mim o amor é como um bonsai: você planta e, dependendo do seu coração se ele é mais árido ou fértil por causa das coisas que já passou, ele cresce e se enraíza, instaurando um relacionamento. A partir de então vem as decepções que seriam como podas na planta, podendo cortar pequenos galhos ou partes cruciais que deixarão de florescer e dar frutos, mas também essa poda pode fazer com que a planta cresça mais e fique mais alta.
    Por fim, cada um tem um jeito de amar e cabe a nós sabermos cuidar desse nosso campo que é o coração para que não cresça qualquer erva daninha, porque cada planta que temos que arrancar do nosso campo é um pedaço do nosso coração que sai junto.
    Que as aves tragam boas sementes…
    ^ ^

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s